[Resenha] Lições do desejo - Madeline Hunter #15


 Sinopse: Atraente, sutil e tentador, lorde Eliot Rothwell é um homem acostumado a fazer sucesso entre as mulheres e a conseguir tudo o que deseja delas. Mas isso não se aplica a Phaedra Blair. A brilhante e exótica editora não parece disposta a ceder a seu pedido e cancelar a publicação das memórias de um membro do Parlamento que podem manchar o nome da família Rothwell. A pedido de seu irmão mais velho, o marquês de Easterbook, Elliot vai a Nápoles para negociar com Phaedra. Historiador de renome e autor de livros respeitados, tudo indica que ele seja a pessoa ideal para a tarefa. Porém, em vez de encontrar a bela mulher descansando à beira do mar Tirreno, Eliot descobre que ela está presa por causa de uma acusação injusta. Graças ao prestígio da família, o nobre consegue libertá-la, mas também se torna responsável por ela até voltarem à Inglaterra. Percorrendo juntos uma das regiões mais belas e românticas da Europa, eles vão descobrir que discordam de quase tudo o que o outro pensa ou faz – exceto o que fazem juntos na cama. E, nessa aula de prazer, será cada vez mais difícil saber qual dos dois tem mais a ensinar.

Editora: Arqueiro | Páginas: 320 | Ano do lançamento: 2013 | Gênero: Romance de época
Classificação: 5 estrelas!

Lições do Desejo é o segundo romance da série Rothwell Brothers. A autora novamente apresenta uma história de época envolvente e proibido para menores. Não que seja exatamente um pornô, mas a sensualidade descrita nele não tem muitas censuras. Eu o devorei como pude, e às vezes ainda releio minhas partes favoritas. A verdade é que eu poderia ler este livro cem (100) vezes sem enjoar. Novamente fui cativada pelos elegantes Lordes ingleses. 



Eliot Rothwell , nosso protagonista é realmente digno de ser chamado de lorde, pois ele é sim um homem de verdade. Inteligente e lindo sabia o que dizer nos momentos certos e impor suas vontades também… Teve várias oportunidades de usar o seu poder de persuasão. Poderia manipular nossa protagonista para conseguir o lhe foi proposto. Entretanto, não o fez. Ele soube defender seus propósitos sem jogar fora seus princípios…  Um homem de atitude que não negava seus desejos e muito menos as consequências de seus atos. Fascinou não somente Phaedra. Quando ela o achava fofo, eu também o achava. Teve momentos em que nossa protagonista ficava paralisada apenas com a forma dele olhar para ela, e eu surtava junto dela. 

Phaedra Blair, bela, ruiva e excêntrica. Ela desafiava toda a sociedade, pregando para si os ensinamentos extremos de sua mãe (não a julguem, foi o que ela aprendeu desde pequena). Ouvi muitas críticas sobre ela. Mas eu pude compreendê-la perfeitamente. Ela acreditava em um mundo livre, no amor livre, não queria se prender, tinha medo de perder a própria personalidade e ficar submissa aos possessivos homens. Contudo, Lord Eliot entra em sua vida, e aceita o seu desafio. Logo ela começa a questionar seus modos de viver e se depara com novos sentimentos que a incomodam. Apesar da armadura que ela deixa explícita para que todos a rotulem, ela é uma mulher, tem suas inseguranças femininas e, sobretudo vontades.


Citações do livro:
 – Esqueceu o seu chapéu, Srta Blair. O sol ainda não se pôs e pode ser prejudicial à sua pele delicada. Tenho certeza de que preferiria evitar mais sardas em seu nariz, por mais charmosas que elas sejam. A mão dela foi rápida para o nariz. Por um instante, a vaidade feminina venceu sua postura de indiferença a essas preocupações banais. – O senhor é muito hábil em misturar criticas com falsos elogios. (página 33) -… Mas a senhorita fala de questões sérias, Srta. Blair. Por favor, perdoe-me por deixar essa discussão para outro momento. Um em que a luz do luar, a noite e sua beleza não estejam fazendo minha mente se voltar para outros assuntos. A expressão no rosto dela foi de pura surpresa. Não se moveu ao encará-lo. O que quer que tenha visto no rosto dele gerou faíscas de temor em seus olhos. (páginas 74 e 75)
A leitura foi suave e gradativamente desenrolada. Não achei nada precipitado nem em cima da hora, vamos dizer que tudo transcorreu tão naturalmente que foi impossível pensar em um romance clichê e forçado. As viagens e aventuras que os dois compartilhavam deram o tempero essencial à leitura, já que foi nelas onde encontrei a comédia do livro, as cenas divertidas não podiam faltar… Ainda me pego rindo com a confusão da torre em um suposto ritual ao Deus Sol, e no que repercutiu tudo isso. Devo meus sinceros parabéns à autora!

Espero que apreciem, um grande abraço e até a proxima. Por Geisi 0/

9 comentários

  1. Oi Geisi, romances de época são meus preferidos e foi essa autora que me fez começar a curtir esse gênero, li o primeiro e o terceiro livro dessa série e achei encantadores, e apesar de estar demorando um pouco pra retomar e ler os volumes que faltam dessa série quero sim lê-los. Assim sua resenha fez esse livro subir algumas casas em importância pra ser adquirido, me fez lembrar dele e pelo que li acho que vou curtir a história, mesmo essa sendo a protagonista mais criticada, é bem capaz de que eu a entenda também. Boa resenha e ótima dica ;)

    ResponderExcluir
  2. Eu amei esse livro também. Ele está bem completinho, tanto no desenvolvimento da história, como nos personagens, no romance entre eles. Está perfeito!
    Gostei bastante da Phaedra e esse jeito dela. É uma das minhas personagens favoritas.
    E o Eliot é muito amor né? Queria um desse pra mim haha
    Super indico esse e os outros livros da série. Pra quem gosta de romances de época, assim como eu, vai amar <3
    Beijos
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  3. Oiee!
    Sou louca por essa série *-*
    Ainda não tenho nenhum dos livros, mas ainda esse ano quero ter todos na minha estante, apesar de nunca ter lido nada da autora, desde que vi essas capas e li as sinopses me apaixonei pelos livros, e quero pra mim <3
    Legal saber que não vou me arrepender.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  4. Olá! Mais um bom livro de Madeline Hunter, foi uma história muito boa, com uma heroína muito forte, e um nome (Phaedra), diferente, porém bonito e Elliott (suspiros), que é lindo, inteligente e sexy, em uma trama intrigante e envolvente, amei a interação entre os dois.

    ResponderExcluir
  5. Oi Geisi,
    nunca li nenhum livro do Madeline, mas quero muito!
    E após ler essa resenha tão linda e ver sua empolgação, fiquei aqui, curiosíssima!
    A Phaedra parece ser uma mulher muito forte e determinada, daquelas que não aceitam qualquer submissão imposta pela sociedade e que luta muito para ser feliz e atingir seus propósitos!
    Adoro personagens femininas assim!
    Vou querer ler, sem falta!
    bjsss
    Ana,
    elvisgatao.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Oi, Geisi!!
    Não conhecia essa série mas adorei a premissa do livro, adoro livro de romance de época e essa história sem dúvida entro na minha lista de compras!! Amei a resenha você soube aguçar minha curiosidade!!
    Beijoss

    ResponderExcluir
  7. Tenho muita vontade de ler os livros dessa autora!
    Estou amando romance de época e esses livros estão na minha lista de desejados, vou comprar e ler!
    Beijoss

    ResponderExcluir
  8. Oi Geisi ;)
    Tenho os três primeiros livros da série, mas ainda não consegui ler, pois a lista de leitura é enorme e todo dia aumenta kkk
    Mas sua resenha está me deixando animada para começar, até porque amo romances de época.
    Que legal saber que você adorou tanto, que sempre sente vontade de reler suas partes favoritas, espero amar os livros tanto assim! Adorei a personalidade dos personagens como você descreveu, e achei os quotes lindos S2
    Bjos

    ResponderExcluir
  9. Olá,
    Cada resenha que leio sobre livro de romance de época fico cada vez mas apaixonada por essa época. A premissa do livro é maravilhosa e muito intrigante, a personagem tem uma personalidade única, realmente ela não gosta de ser uma pessoa padrão e nem submissa ao homem é isso gostei muito dela. Com certeza seria uma leitura muito maravilhosa para mim.

    ResponderExcluir

Topo