[Resenha] O despertar do príncipe - Collen Houck #25

Sinopse: Aos 17 anos, Liliana Young tem uma vida aparentemente invejável. Ela mora em um luxuoso hotel de Nova York com os pais ricos e bem-sucedidos, só usa roupas de grife, recebe uma generosa mesada e tem liberdade para explorar a cidade. Mas para isso ela precisa seguir algumas regras: só tirar notas altas no colégio, apresentar-se adequadamente nas festas com os pais e fazer amizade apenas com quem eles aprovarem. Um dia, na seção egípcia do Metropolitan Museum of Art, Lily está pensando numa maneira de convencer os pais a deixá-la escolher a própria carreira, quando uma figura espantosa cruza o seu caminho: uma múmia ― na verdade, um príncipe egípcio com poderes divinos que acaba de despertar de um sono de mil anos. A partir daí, a vida solitária e super-regrada de Lily sofre uma reviravolta. Uma força irresistível a leva a seguir o príncipe Amon até o lendário Vale dos Reis, no Egito, em busca dos outros dois irmãos adormecidos, numa luta contra o tempo para realizar a cerimônia que é a última esperança para salvar a humanidade do maligno deus Seth.

Editora: Arqueiro / Ano: 2015 / Gênero: aventura e romance / Paginas: 384

Compre o seu: AQUI        Classificação:  4 (quatro) Estrelas! 


O despertar do príncipe, da autora Colleen Houck, é o primeiro volume da série Deuses do Egito. Possui um enredo repleto de aventura e mitologia egípcia, com um ar de mistério e romance, e uma protagonista forte e inteligente. No geral, o livro é narrado em primeira pessoa, por Liliana Young, uma jovem rica de 17 anos, que mora em um hotel com os pais. Ainda que sejam muito ausentes, os pais de Lily ditam as regras que ela deve seguir, e em troca de seu “bom comportamento”, ela recebe uma mesada generosa. Apesar de viver sendo controlada/comprada pelo pais, Lily é uma jovem que possui sonhos, almeja a liberdade, poder ser dona do próprio destino, viver um grande amor e aventura. Ela não decidiu sobre a faculdade que vai cursar, mas sabe que não quer depender dos pais para sempre. Porém, a aventura que ela tanto deseja começa, quando em uma sessão egípcia de um museu de arte, Liliana se depara com Amon, um príncipe do Egito que saiu de seu sarcófago, após despertar de um sono de mil anos. 


“Ao me virar para ir embora, olhei para baixo e de repente percebi duas coisas: primeiro, que o sarcófago não continha nenhuma múmia; e segundo, que a serragem exibia outro conjunto de pegadas além das minhas, pegadas deixadas por pés descalços e que se afastavam do sarcófago.” 

Amon é a múmia mais atraente que já foi descrita em um livro, e além de ser lindo e sedutor, ele despertou com uma grande missão, proteger a Terra do retorno de Seth, um deus maligno. Para conseguir cumprir sua missão, Amon tem que despertar seus outros dois irmãos, que o ajudarão a realizar um ritual místico no Egito. E, apesar de estar recém desperto e um pouco confuso, cumprir sua missão é a coisa mais importante para Amon, e em seu ponto de vista, para o mundo; assim ele faz um encantamento ligando a força vital de Lily a dele e os dois ficam com as vidas conectadas. 

 “O sol nos deixa fortes, jovem Lily. Assim como eu estou ligado a ele, você está ligado a mim.”

Em princípio Lily questiona a sanidade de Amon, o que é perfeitamente compreensível. Contudo, ela sente-se atraída pelo estranho, e não demora para ele convencê-la a se aventurar em uma viagem com ele para o Egito e ajudá-lo a encontrar seus irmãos, o que não achei tão compreensível assim. 

 "eu encontrei um príncipe de milhares de anos e ele precisa da minha ajuda para salvar o mundo, que mal tem em ajudar?"

E com maestria, a autora Collen Houck envolve o cenário da história na mitologia egípcia, descrevendo de uma forma que me fez viajar pelo Egito com Amon e Lily. A cidade do Cairo, as pirâmides, as maldições, as lendas e contos tornam o livro muito rico em cultura e envolvente, assim como o leve romance que pouco a pouco vai se desenvolvendo. Amon tinha dois lados, ambos gravados na mesma sólida moeda. As duas versões eram poderosas, belas e autoritárias, mas o Amon homem, que era vulnerável e duvidava de si mesmo, que ansiava por sentir um vínculo com outras pessoas, era o que mais me atraía. Eu gostei bastante da forma como a autora conduziu a história. Gostei dela se preocupar em contar sobre o passado de Amon e de seus irmãos; assim os leitores tiveram a oportunidade de conhece-los e compreendê-los melhor, bem como a própria missão dos príncipes. 

"O deus Seth exige que três jovens de sangue real sejam sacrificados a ele para lhe servir eternamente na vida após a morte. Caso contrário, ele jura que fará chover destruição sobre todo o Egito."

Enfim, mesmo com toda atração entre os personagens o romance não foi forçado, mas foi sim bastante esperado, ao mesmo por mim! O que era apenas uma missão altruísta, foi se transformando em algo maior e complicado, pois o príncipe afasta Lily e faz de tudo para não ceder a atração que sente por ela, que por outro lado só quer saciar um pouco do desejo que sente por Amon. Tudo isso culminou em um desfecho de história emocionante e com uma abertura para outra história de tirar o fôlego. 

Então se, assim como eu, você gosta de uma fantasia repleta de aventura e cultura, eis aqui uma perfeita indicação!

 Abraços, Geisi :)

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Topo